27/07/2011

Projeto do novo terminal de Cumbica

Darlan Alvarenga e Mariana Oliveira
Do G1, em São Paulo e em Brasília

Arquitetura de Mario Biselli e Arthur Katchborian lembra desenho de avião.
Licitação da construção depende de detalhamento e ainda não tem data.



O terceiro terminal do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos (SP), terá estrutura integralmente metálica, com um desenho em T, num formato que lembra um avião. O estudo preliminar – que já contempla o projeto arquitetônico – é assinado pelo escritório paulistano de Mario Biselli e Artur Katchborian, juntamente com a arquiteta Gicele Alves. A pedido do G1, o escritório preparou uma animação com as imagens desenhadas para o novo terminal.

O projeto está sendo apresentado na nova edição da revista "Monolito", que começa a ser distribuída nesta quarta-feira e é dedicada a obra do escritório Biselli + Katchborian, e as primeiras imagens foram divulgadas pela “Folha de S. Paulo”, no último domingo.

“O projeto arquitetônico já está totalmente aprovado. Essa configuração não muda mais. Agora estamos iniciando o projeto básico, com os detalhes técnicos para a engenharia e para a fase de licitação”, afirma Biselli.

Infraero

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) informou que foi aprovado um estudo preliminar sobre a ampliação do terceiro terminal de passageiros (TPS 3) do aeroporto de Cumbica. Conforme a Infraero, o órgão emitiu uma ordem de serviço que permite a elaboração do projeto.

De acordo com a Infraero, o TPS 3 terá a primeira fase - cerca de 40% da obra total - concluída até o fim de 2013. Após o fim da primeira fase, o terminal terá capacidade para 18,8 milhões de passageiros, quase o dobro da atual capacidade, de 24,9 milhões de passageiros. Com a primeira fase do terminal, a previsão é atender 44 milhões por ano. A expectativa é que a obra fique pronta em novembro de 2013, em tempo para a Copa do Mundo de 2014, de acordo com o cronograma.

Segundo a Infraero, este é o maior projeto arquitetônico de terminal aeroportuário da América do Sul, totalizando 230 mil m², e consolidará Guarulhos como um dos principais hubs da América Latina. Os atuais terminais têm juntos 183,87 mil m² de área. A primeira fase do TPS3 terá 92 mil m².

Formas

Segundo o arquiteto Biselli, embora o uso de formas associadas a aeronaves tenha sido “quase inevitável”, o que norteou o projeto foram os requisitos funcionais e as especificações pré-determinadas pelo edital.

“A configuração em T, em finger, é um dado do edital, o que permitiu enxergarmos a possibilidade de uma forma muito bonita, com uma arquitetura ligada ao conjunto estético relacionado ao universo do voo”, diz.

Ele explica que foi também a demanda por uma obra de rápida execução que levou à escolha do uso de material pré-fabricado, com pilares metálicos que se abrem como galhos de árvores. “Todo o terminal será em estrutura metálica, com componentes repetidos que se montam de maneira muita rápida. É totalmente diferente dos terminais 1 e 2, que são de concreto", compara.

Com o uso de estrutura metálica, o terminal terá vários vãos livres, sendo o maior deles de 120 metros. A cobertura possuirá generosos beirais e cantos arredondados, com aberturas e vidros, transformando a luz natural como um importante elemento de iluminação. “À noite, a imagem será a de um negativo, com a iluminação interna destacando as formas do terminal”, afirma Biselli.

O edital também estabelecia que embarque e desembarque ficassem em áreas separadas. De acordo com o projeto, o piso do embarque e os mezaninos ficarão na cobertura. A parte de baixo terá três pavimentos: o desembarque, o nível da pista e um subsolo.

O projeto prevê ainda um edifício-garagem com seis pisos, com capacidade para cerca de 8 mil veículos, conexão física com os outros terminais existentes, e local para estação de trem, prevista no edital.


A licitação para o início das obras depende do detalhamento dos requisitos técnicos e ainda não tem data marcada. A previsão é de lançar o edital de licitação da construção das instalações no primeiro semestre do ano que vem.

O escritório Biselli + Katchborian já venceu outros concursos nacionais como o do projeto do terminal internacional de passageiros do aeroporto de Florianópolis, o Teatro de Natal, o Centro Judiciário de Curitiba e o Centro Municipal de Arte e Educação, em Guarulhos.

Os arquitetos integram o consórcio denominado MAG, formado também pelas empresas PJJ Malucelli Arquitetura, e Andrade Rezende Engenharia, vencedor da concorrência organizada pela Infraero, cujo contrato foi assinado em julho de 2010.

Início das obras


Embora o projeto ainda não esteja pronto, a obra no terminal teve início em maio deste ano após a assinatura de um termo de cooperação firmado entre a Infraero e o Exército para a execução da terraplanagem da área.

Apesar dos prazos previstos, o cronograma pode mudar por conta da concessão do aeroporto. “Vale destacar que as obras de ampliação e a gestão de todo o complexo aeroportuário de Guarulhos serão objeto de concessão pública, conforme definição do Governo Federal anunciada em maio de 2011. (...) O planejamento seguirá até que seja concluído o modelo de concessão, cujo edital definirá as regras de transição da responsabilidade da Infraero e do concessionário”, diz a Infraero.

No fim de maio, o governo federal anunciou o modelo de concessão à iniciativa privada de obras e serviços de três aeroportos brasileiros, entre eles o de Cumbica. Conforme o governo, as concessões serão feitas por meio de uma Sociedade de Propósito Específico, constituída por investidores privados. A Infraero terá 49% de participação nas sociedades. As empresas privadas ficarão com 51% e serão responsáveis pela ampliação e gestão dos terminais.

Os critérios para os editais de concessão estarão prontos em dezembro deste ano, segundo o governo.

Outras obras em Cumbica


Ao todo, a Infraero informa que são cinco as obras previstas para ampliação e melhorias no Aeroporto de Cumbica. Ao todo, os projetos somam R$ 1,2 bilhão. Há previsão de ampliação e revitalização do sistema de pistas e pátios; construção de pistas de táxi e de saída rápida; dois terminais remotos e a construção do terceiro terminal de passageiros.

Fonte (texto e fotos): G1


Fonte (vídeo): Infraero

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário